Escalada: Amor em movimento - Por Rodrigo Brito



Desde que entrei pra o movimento, TODOS os dias fica mais evidente qual o sentido do amor e de amar. Iniciei minha caminhada há 07 (sete) anos, no segundo semestre de 2011 atendendo a um convite de minha irmã, decidi viver a experiência de mais um encontro de jovens que buscam, desejam e sentem o mesmo! O amor de Deus! Desde que iniciei no movimento, vários foram os convites para "servir", ser "serviço" e “sair em missão”.

Trabalhei em diversos encontros e posso afirmar, cada um deles me mostrou o quão belo e próximo é o nosso Deus, ele está aqui dentro de mim, está ali na face do próximo e deseja estar em todos independente de raça, cor e gênero; o amor não se apega a essas coisas.

Nesses encontros tive a oportunidade de conhecer inúmeras pessoas, "servir" àqueles que procuravam uma direção; pude apresentar essa verdade de amor e aprender com cada um deles - mesmo sem que eles soubessem - sobre qual o sentido de Ser Pessoa em Clima de Oração.

E trabalho é o que não falta, até porque "a messe é grande e os operários são poucos". Buscando me colocar à "serviço" sempre me envolvi com atividades das feiras paroquiais, por entender que são obras necessárias e de extrema importância para o contexto da comunidade.


Provocado, aceitei o desafio de coordenar com mais duas pessoas a barraca tropical durante a Feira da Fraternidade, posso confessar, é desafiador mesmo, mas guiados pelos ensinamentos, força e saúde que Deus nos dá, sigo nessa batalha. Na coordenação estamos há 03 (três) anos e com energia para servir por mais váááááááários outros!



Algo novo aconteceu comigo em 2018, o telefone tocou e um outro convite foi feito, participar do processo de reimplantação na cidade de Jequié, algo que pra mim seria totalmente novo, apesar da “experiência” de viver encontros, não havia ultrapassado a fronteira de Salvador e naquele momento me dei conta da responsabilidade.

Pode parecer besteira, mas as pernas tremeram, o frio na barriga veio e aqueles questionamentos “Por que eu?”; “Será que sou capaz?” surgiram. Depois de alguns instantes de oração e “desertos” (vários deles); percebi que precisamos realmente "sair em missão", não devemos nos acomodar, temos por obrigação – enquanto cristãos – de propagar o amor, a palavra e o olhar de Deus sobre TUDO e TODOS.

Bem, aceitei mesmo tremendo e tive a felicidade de compartilhar de momentos incríveis com alguns parceiros de viagem (ir e volta para Jequié no mesmo dia é puxado!), trocar experiências com tantas pessoas novas e colocar mais um tijolinho nessa obra, que através do movimento está sendo reerguida naquela cidade.


E como é gratificante ver aqueles sorrisos, enxugar aquelas lágrimas e festejar! Falar de Deus e ouvir dele através do outro, me fez/faz crescer e esse processo de reimplantação me fez mais uma vez e de forma ainda mais especial me aproximar, conhecer com ainda mais detalhe e perceber como Deus é lindo e como é importante vivermos pra Ele e por Ele.

Me senti lisonjeado em ter sido confiada à mim essa missão e muito mais feliz em ter tido a oportunidade de conhecer cada um daqueles que em algum momento estiveram comigo cumprindo, servindo e vivenciando essa missão!

Neste ano ainda tive outra extraordinária oportunidade, vivenciar algo absolutamente diferente, o encontro anual do movimento aconteceu em Salvador e mais uma vez tive a oportunidade de servir, ao final chorei por enxergar que todo o esforço, palavrões, correria, TUDO tinha sentido e valia/vale à pena! Tudo para Ele e por Ele vale o esforço.


Se Deus é por nós, quem vai ousar ser contra nós?

Beijo grande

Rodrigo Brito - Didigo - 19ª Escalada Master - Aurora

#postodesaúde #voluntariado

Outros Posts

Bahia - Pernambuco - Sergipe

© 2016 por Movimento Escalada.