VIDA



Viver é aguardar amorosa e atentamente, afirmava São João da Cruz.

Os místicos dizem que rezar é aguardar e que a oração torna-nos contemplativos.

Santa Tereza de Jesus ficou tão abalada quando viu uma estátua de Jesus acorrentado, que a vida dela deu uma virada e ela passou a sentir Jesus ao lado dela, e a sentir um profundo contentamento na oração e descobre que é preciso amar. O amor a Deus leva-nos a amar o outro, a sermos humildes e o nosso espírito sente-se chamado a um voo, a ser transformado. É preciso que morra a lagarta para que surja a borboleta.

“O amor a Deus leva-nos a amar o outro, a sermos humildes e o nosso espírito sente-se chamado a um voo, a ser transformado.”

São Paulo, Apóstolo, diz: “Para mim, viver é Cristo”, e se transforma a ponto de afirmar: “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”. Rezar é confiar, é abandonar-se n’Ele. O amor afasta o temor.

A oração para alguns teólogos tem três estágios: O primeiro é a consciência de que Deus nos ama como somos, com as nossas qualidades e com os nossos defeitos; O segundo é a concentração na pessoa de Cristo – Que eu possa ver-Te mais claramente; amar-Te mais e mais; imitar-Te dia após dia – O terceiro estágio é: o reconhecimento de que em Deus nos encontramos com a realidade total, pois Ele está presente em todos os lugares.

Quando aceito esta verdade, eu rezo no sentido pleno da palavra, porque rezar é entregar as 24horas que recebemos de presente cada dia. Na oração entregamos a própria vida.

Aquele que reza, pede: Pai, eu quero ser o terreno fértil onde a palavra frutifica.

Ivonete Passos, Tia do Escalada


Outros Posts