Tema Anual

2011
MISSÃO E UNIDADE NO CARISMA - NOSSA MISSÃO É COMUNHÃO

Como resultado das comemorações dos 30 anos, dando continuidade ao que foi celebrado e apontando caminhos de futuro, aderimos ao termo já utilizado pelas congregações religiosas desde o ano 2000: refundação.

 

Refundar não significa fundar de novo, esquecendo o caminho feito e as mudanças necessárias às novas demandas. A refundação consiste num retorno às fontes, numa busca das origens, num desejo de não se perder nos acessórios adquiridos ao longo do tempo, buscando o que seja essencial à natureza própria do carisma original.

 

Este processo de refundação coincidiu com o lançamento do Documento de Aparecida e o apelo dos bispos latino americanos e caribenhos para um aprofundamento na experiência com o Cristo, especialmente através da Leitura Orante da Bíblia, e no encontro missionário com os irmãos.

Refundação, Leitura Orante e Missão vêm formando o marco teórico-prático para a ação, oração e estudo do Movimento nesses anos.

 

Em 2010 pensamos, rezamos e agimos a partir da idéia de que nossa vocação é missão.

 

Para aprofundar esse mergulho em nossa identidade, devemos avançar a partir da idéia de que, se nossa vocação é missão, nossa missão é a comunhão.

De fato, não podemos exercer nossa missão, vivendo uma identidade fruto do Ser Pessoa em Clima de Oração, se não vivemos uma profunda comunhão

  1.  Com Deus, especialmente através dos Sacramentos e da Leitura Orante da Bíblia;

  2.  Entre nós, alpinistas, através da fidelidade ao carisma e as determinações das instâncias coordenadoras;

  3.  Com a Igreja, através das nossas Dioceses e Paróquias e seus planos de pastoral;

  4. Com o mundo e suas dores, especialmente o grito calado das famílias, dos jovens e da natureza.

 

Com esse tema anual damos um passo significativo no nosso desejo de alicerçar nossa identidade e nossa prática em consonância com a identidade e a prática de Jesus de Nazaré, pessoa por excelência. Assim, iremos mais fundo no encontro como Cristo e mais longe no encontro com o irmão.

 

Pe. Mané