Calendário Temático 2022


28.MAI A 03.JUN – TEMA LIVRE


21.MAI A 27.MAI – ORAÇÃO – ORAÇÕES BASES DO CRISTÃO CATÓLICO. COMO SURGIRAM? QUAIS SÃO?


A oração é um dom da graça de Deus que vem ao encontro do homem e permite o estabelecimento de uma relação pessoal e viva dos filhos de Deus com o Pai, com o seu Filho Jesus Cristo e com o Espírito Santo. Nos permite pedir, louvar e agradecer as graças concedidas e pode ser utilizada em diversas situações e momentos do cotidiano, podendo ser dirigida também à Virgem Maria e aos Santos, para intercederem a Deus e junto de Deus.


A oração é uma das principais formas de desenvolver intimidade com Deus. A oração de um justo é poderosa e eficaz, e ela é uma das principais armas de todo aquele que crê.


· Como surgiram?


De acordo com a Bíblia, ensinar essa oração do Pai Nosso aos fiéis não foi algo programado por Jesus. Ela veio de um espontâneo pedido de um dos seus discípulos que disse “Senhor, ensina-nos a orar, como João Baptista também ensinou os seus discípulos”, e em resposta a este pedido Jesus proferiu a oração mais conhecida em todo o mundo. Foi através desse pedido que Jesus confiou a seus discípulos e à sua Igreja a oração cristã fundamental


A Ave Maria é a oração mariana mais conhecida do mundo. Esta oração é um resultado de um longo processo. Na época medieval era conhecida como “saudação angélica”. A primeira parte da oração da Ave-Maria é composta pela saudação do Arcanjo Gabriel a Virgem Santíssima, como consta no Evangelho de Lucas: “Alegra-te, cheia de graça! O Senhor está contigo” (Lucas 1, 28), e pela saudação de Isabel ao encontrar com Maria: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre!” (Lucas 1, 42). Essa união entre as duas saudações, inicialmente era encontrada apenas na liturgia, vindo mais tarde a se tornar uma oração popular.


· Quais são?


Pai Nosso


Pai nosso, que estais no céu, santificado seja o vosso nome; venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje, perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.


Creio: Símbolo dos Apóstolos

Creio em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu único filho, nosso Senhor. Que foi concebido pelo poder do Espírito Santo. Nasceu da Virgem Maria. Padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado. Desceu à mansão dos mortos. Ressuscitou ao terceiro dia. Subiu aos céus está sentado à direita de Deus Pai todo-poderoso, donde há de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.


Invocação do Espírito Santo

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo de vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado. E renovareis a face da terra. Oremos: Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo Senhor nosso. Amém.


Ave Maria

Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto de vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.


Salve-Rainha

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida, doçura esperança nossa salve! A vós bradamos, degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai Jesus, bendito fruto em vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria. Rogai por nós, santa Mãe de Deus. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.


Santo Anjo


Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege, me guarda, me governa me ilumina. Amém


Podemos (e devemos) também, por meio da oração pedir a intercessão dos santos. Dessa forma, utilizamos a oração dos santos para pedi-los que interceda para alcance de alguma graça.

Os santos mesmo após a morte, estão interessados em coisas que acontecem na Terra e estão prontos para interceder por nós. Pois, os espíritos aperfeiçoados dos homens justos, termo empregado em Hebreus 12 como referência aos santos, estão entre a nuvem de testemunhas juntamente com os anjos do Céu que nos auxiliam.

· Parte prática


Segundo o Catecismo da Igreja Católica, a Oração do Pai Nosso é verdadeiramente o resumo de todo o Evangelho. Cada pessoa pode fazer suas orações segundo as suas necessidades, mas começando pela oração do Pai Nosso, que é a oração fundamental da Igreja. Sabendo disso, que tal refletirmos o que diz essa oração tão importante??


Quando entoamos ou recitamos a oração do Pai Nosso estamos reforçando elementos muito importantes, até mesmo fundamentais para o cristianismo.


Adoração: “santificado seja o Vosso nome”;

Submissão: “seja feita a Vossa vontade”;

Pedido de provisão: “o pão nosso de cada dia nos dai hoje”;

Pedido de perdão: “perdoai as nossas ofensas”;

Liberação de perdão: “assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido”;

Pedido de proteção: “e não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal”


Palavras-chave: Oração; Pai Nosso; Ave Maria.

Sugestões de passagens: Mt 6, 9-13; Lc 11, 1-4; He 1, 14; Salmos 91,11

Sugestões de músicas: Ave Maria (Irala); Oração de São Francisco; Deus; Espírito; Planos de Deus.


14.MAI A 20.MAI – ESTUDO – CORPO: MORADA DO ESPÍRITO SANTO


O nosso corpo é sagrado (1 Co 3,17), e sua sacralidade não está na sua essência, mas na sua utilidade: ele é sagrado porque aquele que é Santo habita nele. O nosso corpo é templo do Espírito Santo de Deus, sendo, portanto, um santuário, que deve ser preservado, cuidado e amado. A Palavra do Senhor nos ensina na carta que o Apóstolo Paulo escreveu aos Coríntios: "Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" (1Co 6,19).


Por isso, a Igreja nos orienta a respeitar e preservar o nosso corpo em sua plenitude, por sermos um templo habitável, preservando a nossa santidade. No Antigo Testamento, o santuário era um lugar sagrado, que Deus abençoava com Sua presença. O corpo é sagrado porque Deus está presente nele. Quem atenta contra o corpo, atenta contra Deus. Por isso, o corpo deve ser usado para bem, a exemplo do seu uso para salvar outras vidas, como faz a medicina na doação de sangue, por exemplo.


As orientações da Igreja rejeitam o uso de violência contra o próprio corpo. O direito a integridade física é ferido com o uso da violência, dos maus-tratos, da tortura, da esterilização forçada, assim como a imputação e mutilação sem fins médicos. Por isso, os atos de destruição contra o próprio corpo atenta contra a dignidade da pessoa humana, e em desfavor da morada do Espírito, não existindo um direito humano de destruir o próprio corpo, que é um dom de Deus.

Assim, devemos seguir as orientações, inclusive científicas para a preservação do nosso corpo: cuidar da saúde, praticar esportes, ter uma alimentação equilibrada, consumir uma quantidade adequada de água por dia, não consumir bebidas alcoólicas imoderadamente, etc.


E consumir drogas é pecado? O youcat nos explica que o prazer das drogas é um pecado, pois se trata de um ato que implica a autodestruição e constitui, portanto, um atentado contra a vida que Deus nos concedeu. A dependência humana a drogas (legais ou ilegais) é uma troca da liberdade pela escravidão, uma vez que o seu consumo passa a ser uma necessidade, muitas vezes emocional ou física, retirando o livre arbítrio do ser humano, além de danificar a saúde e prejudicar a vida daqueles que nos rodeiam.


Quanto aos experimentos medicinais em corpos humanos, a Igreja orienta que, se os resultados esperados forem importantes para o bem da humanidade e se não puderem ser realizados de outro modo, deve acontecer, desde que haja o livre consentimento das pessoas envolvidas. Nesse mesmo sentido, há o incentivo a doação de órgãos, por prolongar a vida do receptor.


Desse modo, o corpo deve ser respeitado. Primeiro, pois o nosso corpo é sagrado (1Co 3,17). Segundo, pois o nosso corpo é membro de Cristo (1Co 6,15). Terceiro, pois o nosso corpo não nos pertence (1Co 6,19). Quarto, pois o nosso corpo é o santo dos santos onde a glória de Deus assiste (1Co 3,16). Quinto, pois o nosso corpo foi comprado por alto preço (1Co 6,20).


Por tudo isso, devemos glorificar a Deus em nosso corpo.


Palavras-chave: Corpo; Espírito Santo.

Sugestões de passagens: 1Co 3, 16 – 17; João 14, 17; Co 6, 19 – 20; Ex 25, 8

Sugestões de dinâmica: Levar imagens mostrando o esqueleto do corpo, e perguntar aos integrantes quais os nomes de alguns ossos (os mais desconhecidos). Após isso, o condutor deverá dizer o nome e a função desses ossos, demonstrando que cada parte do nosso corpo tem uma razão de ser, nada é por acaso, e, por isso, devemos cuidar muito bem do que nos foi dado por Deus.


07.MAI A 13.MAI – COMPORTAMENTO – COM QUE MEDIDA SEREI JULGADO?


Jesus nos ensina que devemos ser misericordiosos assim como o Pai é misericordioso, mas será que sabemos verdadeiramente a profundidade dessa misericórdia?


Olhe para dentro de si, bem lá no fundo, pense em tudo que faz no seu dia a dia para as pessoas que estão a sua volta, as que conhece intimamente e as que não faz ideia de quem sejam, então questione-se: tenho sido misericordioso? Amar a parte boa de alguém ou a melhor parte de alguém é ótimo, é prazeroso, é fácil, mas amar aquela parte falível, aquela parte desagradável, é desafiador e aí está a diferença para a misericórdia de Deus, ela é desafiadora, pede muito de nós, que amemos a todos, sem distinção, logo isso também vale para aqueles de quem discordamos, de quem não gostamos. Já o oposto da misericórdia, que aparece em Lc 6, 36 -38, é o julgamento, é condenar a falha, dar a sentença e isso não cabe a nós, mas em muitos momentos nos colocamos nesse lugar, invertemos a nossa cruz assumindo o lugar de Deus.


Portanto, é preciso que sempre voltemos a nos questionar: eu tenho sido misericordioso como Jesus ensinou? Como tenho julgado o meu irmão? Com que medida serei julgado? O que me impede de amar o meu irmão? Buscar essas respostas nos dará um norte para seguirmos o que Cristo nos pede.


Palavras-chave: Misericórdia; Amor; Julgamento; Desafio.

Sugestões de passagens: Lc 6, 27 - 38

Sugestões de leitura: Youcat pg. 286, parágrafo 524 Sugestões de músicas: Face a Face; Guetos; Ecoar; Brilhe a Tua Luz; Pessoa da Luz.


OBS:

08.MAI - Peregrinação Nossa Senhora do Escalada - Integra Regulares

11.MAI - Peregrinação Nossa Senhora do Escalada - Master Pituba


30.ABR A 06.MAI – TEMA LIVRE


23.ABR A 29.ABR – ORAÇÃO – ORAÇÃO EM MANTRAS


A oração é quando o nosso coração se abre dirigindo-se a Deus, estabelecendo com Ele uma relação viva e íntima, mais do que isso, “A oração é a porta da fé. Quem ora deixa de viver de si, para si e a partir da própria força” para colocar em Deus toda a sua confiança. Não se aprende a orar como se aprende uma técnica, trata-se de um dom que se conquista orando.


Esse relacionamento com o Senhor deve ser nutrido diariamente na vida do Cristão. Sabemos que na rotina corrida essa prática diária às vezes se apresenta como um desafio, por isso, a busca pelo conhecimento das diversas maneiras de orar é essencial para que possamos atravessar esse obstáculo.


Dentro desse contexto, a oração através de mantras, apesar de pouco difundida, se apresenta como uma das expressões mais essenciais da busca de Deus. São cânticos, palavras ou frases breves, repetidas várias vezes que sublinham um caráter meditativo. Em poucas palavras, exprimem uma realidade fundamental, rapidamente captada pela inteligência. Repetida até ao infinito, esta realidade é pouco a pouco interiorizada pela pessoa na sua totalidade, abrindo- nos assim à escuta de Deus.


Os mantras alimentam a oração pessoal. Eles constroem pouco a pouco uma unidade da pessoa em Deus e podem tornar-se subjacentes no trabalho, nas conversas, no descanso, ligando oração e vida cotidiana. Mesmo inconscientemente, eles prolongam em nós uma oração, no silêncio do nosso coração.

Como sugestão: A dupla poderá arrumar o ambiente com velas; utilizar orações como mantras, inclusive a oração do alpinista.


Palavras-chave: Oração; Mantras; Silêncio.

Sugestões de link: Deus está aqui - Mantra

Sugestões de músicas: Momento meu; Luz da Vida; Tempo de escutar.


16.ABR A 22.ABR – COMPORTAMENTO – TENHO TIDO UMA FÉ ACOMODADA?


Eu tenho tido uma fé acomodada? Ter uma fé acomodada faz de mim um bom Cristão? Apenas ir à Igreja aos Domingos e em dias de preceito faz de mim um verdadeiro seguidor de Cristo?


Na passagem Mt10, 17–31, Jesus conversa com um Jovem Rico que se considera muito empenhado nos caminhos de Deus, e o faz um pedido: “vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me”. Contudo, o jovem se entristeceu em pensar que teria que vender seus bens e sair do seu comodismo para seguir os caminhos de Cristo.


E se esse pedido fosse feito para nós hoje? Quem de nós deixaria para trás o conforto de sua casa para seguir uma vida de renúncias junto a Cristo? Quem de nós abriria mão da estabilidade de vida para entregar cada dia aos desígnios do Pai? Quando acontece algo que nos tira do comodismo, que incomoda, que é difícil, como lidamos com a nossa fé? Questionamos a Deus o porquê daquilo está acontecendo?


O escritor CS Lewis disse: “Se você deseja que uma religião faça você se sentir realmente confortável, certamente não recomendo o cristianismo”. Afinal, como tantas vezes cantamos “se fosse fácil não iria me prender, se fosse fácil não teria nem porquê”? (música Ser Cristão).


Imagine se Cristo tivesse escolhido o caminho mais fácil? Se em determinado momento Ele se acomodasse e resolvesse que não cumpriria o propósito de Deus para sua vida porque era muito sofrimento em prol de um povo que não merecia tamanho sacrifício?


A vivência do Evangelho nos inspira a negarmos a nós mesmos para seguir a Cristo, mesmo que tantas vezes perseguidos, mesmo abrindo mão das nossas ‘coisas do mundo’, mesmo que carregando uma cruz, pois recompensa maior não há que a experiência do amor de Deus.


O cristão acomodado tem pouca urgência na missão e no serviço, tem pouco empenho no crescimento espiritual e se satisfaz em navegar em águas rasas, abrindo mão de um relacionamento mais profundo com Deus.


É preciso sermos cristãos incomodados! Buscarmos servir mais, amar mais, se doar mais. Incomodados com as injustiças do mundo, para que possamos defender os mais vulneráveis; incomodados com a realidade social, para que possamos acolher os pobres e doentes; incomodados com a pouca intimidade que temos com Deus, para que possamos buscar sempre crescermos e nos aproximarmos dEle; incomodados com o pouco, para que possamos buscar ser mais aos olhos de Deus.


Palavras-chave: Fé acomodada; Comodismo; Ser cristão; Propósito.

Sugestões de passagens: Mt10, 17–31; Lucas 14; João 15:20; II Timóteo 3:12.

Sugestões de músicas: Ser Cristão; Viver pra mim é Cristo; Novo caminho.


09. ABR A 15. ABR – PARTICIPAÇÃO DA SEMANA SANTA DA PARÓQUIA


02. ABR A 08. ABR – ESTUDO – RECONCILIAÇÃO E EXAME DE CONSCIÊNCIA


O Sacramento da Confissão para algumas pessoas pode ser algo muito difícil. Afinal, é como dizer as piores coisas sobre você para um completo desconhecido. Ainda mais um padre! “O que ele pensaria de mim? Não conseguiria olhá-lo nos olhos novamente!”. A verdade é que: Sim! É preciso ter muita coragem para fazer uma Confissão.


Quando fazemos algo errado e isso prejudica outros (ou até nós mesmos!), podemos agir como covardes, procurando desculpas e/ou colocando culpa em outras pessoas, ou podemos mostrar a nossa coragem, admitir os nossos erros e pedir perdão.


Não importa quantas vezes tropeçarmos, se nos arrependermos verdadeiramente e confessarmos a Deus os nossos erros, ele, não só nos perdoa, mas através do seu amor misericordioso nos dá a chance de começar novamente. A sensação ao sair da Confissão é de completa de paz, alegria e leveza.


Mas o que é exatamente a Confissão? Bom, ela é como um Update periódico em nossa vida. Caso demoremos de realizar nossos updates, nosso sistema vai ficando fraco e ficamos cada vez mais expostos a ataques de vírus eletrônicos! Ela é como a manutenção de um carro, como uma ducha após uma árdua caminhada.


Agora uma dúvida que muitas pessoas tem: “o que eu vou falar quando estiver com o Padre!? Como posso organizar meus pensamentos para realizar uma confissão!?”. Para isso existe um auxílio: o exame de consciência. Este, nada mais é, do que o reconhecimento que agimos mal em relação a algo. Antes de decidir se aproximar do sacramento da Reconciliação, querendo se reaproximar dos caminhos de Deus, há a tomada da consciência de por que nos afastamos dEle. Devemos então, questionar o que nos levou a agir deliberadamente de forma diferente daquilo que Deus quer de nós.


Após o exame de consciência, devemos nos arrepender. A reconciliação tem por objetivo principal o arrependimento das nossas culpas, ao sentimento de remorso ao que fizemos. Caso contrário, não valeria a pena a confissão.


Depois do arrependimento, devemos avaliar o propósito dele. Pois se permanecermos fazendo algo que não é bom, estamos longe de nos arrependermos.


Agora entra o momento da confissão, e este é, sem dúvida, o passo mais difícil. Mas, é necessário e importante tratarmos abertamente dos nossos pecados, porque isso nos alerta para não os considerarmos como lixo varrido para debaixo do tapete.


Depois do exame de consciência feito, o arrependimento sentido e o propósito entendido, seguimos para a conversa com o sacerdote e os pecados serão perdoados. Para finalizar, temos a penitência (ou reparação). A nossa disponibilidade para reparar os danos materiais ou não materiais, manifesta-se na Penitência. Na maioria das vezes o padre nos dá como penitência uma oração.


Neste tempo de quaresma temos a oportunidade perfeita para praticarmos a reconciliação, pois é um tempo intenso de reflexão e busca para nos arrependermos dos nossos pecados que fazem pesar a nossa cruz e a cruz de Cristo.


Palavras-chave: Reconciliação; Perdão; Misericórdia; Consciência; Arrependimento; Penitência.

Sugestões de passagens: Lc 15, 11-32 Sugestões de leitura: Youcat: Preparação para a Crisma (Catequista), Youcat Update! Confissão!

Sugestões de link: https://www.santidade.net/folhetos/Exame_jovens.pdf (Exame de Consciência)

Sugestões de músicas: Perdoa-me


28.MAR A 01.ABR – TEMA LIVRE


21.MAR A 27.MAR – COMPORTAMENTO – COMO ESTOU AMANDO?


Somos chamados ao amor, chamados a amar. Mas cada pessoa ama e se sente amada de um jeito diferente, você já percebeu isso?

Reflita um pouco, tem algo que te faz se sentir amado? Receber um chocolate de alguém, receber um elogio, ganhar um cafuné? Assim é com cada um de nós, as pessoas com as quais você convive também se sentem amadas de um jeito específico.

Segundo Gary Chapman, existem 5 linguagens básicas pelas quais o amor é expressado e compreendido. Cada um de nós nasce com uma maneira predominante de identificar, receber e dar amor.

De acordo com ele, as 5 formas são: palavras de afirmação, tempo de qualidade, presentes, atos de serviço e toque físico.


Propomos um momento de reflexão:

Cada um feche os olhos e pense no seu pai, mãe ou irmão. Qual a linguagem de amor dessa pessoa? No dia a dia, eu faço algo que faça com que eles se sintam amados? O que posso fazer para amar melhor em casa?


Pense no seu trabalho: como está a relação entre você e seus colegas de trabalho? É harmoniosa? Você consegue demonstrar para eles sua gratidão, amar na forma de atos de serviço para eles?


Reflita sobre as suas amizades ou um relacionamento amoroso. Como essa pessoa se sente amada? Será que estou dando ouvidos quando estas pessoas me falam que gostam de ganhar presentes ou receber carinho ou estou sendo egoísta, querendo ser amado e dando pouco amor?


"O amor é uma virtude maravilhosa. Ele é simultaneamente o meio e o fim, o movimento e a meta, o caminho que leva a si mesmo. Que devemos, pois, fazer para amar? Para isso, não precisamos de nenhum outro truque que não seja simplesmente amar..."

São Francisco de Sales


Palavras-chave: Linguagens do amor; Amor; Ato de serviço; Toque físico; Tempo de qualidade; Palavras de afirmação.

Sugestões de passagens: 1João 4, 7. 1Co, 13.

Sugestões de músicas: Monte Castelo (Legião urbana), Convivência (Opa).



14.MAR A 20.MAR – ESTUDO – CONHECE-TE A SI MESMO


"Conhece-te. Aceita-te. Supera-te" - Santo Agostinho.


Cada pessoa é diferente, sofremos a influência de nossa criação familiar, experiências com amigos, colegas de trabalho, mas temos reações próprias e íntimas, que vêm desde o nosso nascimento.


De acordo com Hipócrates, médico da antiguidade (460-377 a.C.), cada pessoa nasce com um temperamento. O temperamento seria algo inato do indivíduo, uma índole natural, a forma como reagimos a estímulos e a situações.


Esse conhecimento sobre os temperamentos é estudado até hoje, sendo usado na psicologia e na educação para crianças.


Mas o que isso tem a ver com fé? Bem, como vimos na frase de Santo Agostinho, acima, o ser humano precisa se conhecer, se aceitar e, então, superar aquilo de negativo que existe nele. Os temperamentos são uma ferramenta de autoconhecimento.


Existem 4 temperamentos: Sanguíneo, Melancólico, Fleumático e Colérico. Cada um com suas características, qualidades e defeitos. Para termos uma noção de qual o nosso temperamento podemos imaginar uma situação ruim (ex: chegar atrasado num compromisso) e avaliar: ao se deparar com essa situação você fica imediatamente irritado, chateado? E depois que a situação já aconteceu, você continua chateado com isso por algum tempo? Fica remoendo a situação?


Os temperamentos vão se dividir entre os de reação imediata: sanguíneo e Colérico/ reação lenta: Fleumático e melancólico. E reação rápida ou fugaz: sanguíneo e Fleumático / reação duradoura: Colérico e melancólico.

É importante lembrar que ninguém é um temperamento puro, podemos ter uma mistura, mas um sempre será predominante.


Esse conhecimento é uma ferramenta importante por dois pontos: primeiro, para se ver com mais carinho, ver que temos qualidades, somos bons em certas áreas e explorar essas qualidades, colocá-las a serviço. E segundo, para ver onde caímos com mais frequência, onde somos fracos e, a partir daí, buscarmos com a graça de Deus sermos melhores nisso. Como disse Santa Teresinha do Menino Jesus: "Deus não inspira desejos impossíveis. Não tenho que me fazer mais do que sou, mas sim me aceitar tal como sou, com todas minhas imperfeições”.

E aí, qual o seu temperamento?


Palavras-chave: Autoconhecimento; Temperamentos; Qualidades; Defeitos; Psicologia.

Sugestões de passagens: https://www.bibliaon.com/versiculo/romanos_12_3-9/Romanos 12, 3-9.

Sugestões de músicas: Talismã



07.MAR A 13.MAR – ESTUDO – CF 2022: FRATERNIDADE E EDUCAÇÃO


A Campanha da Fraternidade é uma proposta celebrada durante a caminhada quaresmal. Um modo de viver a espiritualidade através de reflexões e diálogo num tempo tão favorável.


Assumida pelas Igrejas Particulares da Igreja no Brasil, a Campanha da Fraternidade tornou-se expressão de comunhão, conversão e partilha. Comunhão na busca de construir uma verdadeira fraternidade; conversão na tentativa de deixar-se transformar pela vida fecundada pelo Evangelho; partilha como visibilização do Reino de Deus que recorda a ação da fé, o esforço do amor, a constância na esperança em Cristo Jesus (Cf. 1Ts 1,3).


A Campanha da Fraternidade tem hoje os seguintes objetivos permanentes:

1 – Despertar o espírito comunitário e cristão no povo de Deus, comprometendo, em particular, os cristãos na busca do bem comum;

2 – Educar para a vida em fraternidade, a partir da justiça e do amor, exigência central do Evangelho;

3 – Renovar a consciência da responsabilidade de todos pela ação da Igreja na evangelização, na promoção humana, em vista de uma sociedade justa e solidária (todos devem evangelizar e todos devem sustentar a ação evangelizadora e libertadora da Igreja)


Esse ano, 2022, tem como tema “Fraternidade e Educação” e o lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26).


Objetivo Geral


A Campanha da Fraternidade de 2022 convida a promover diálogos a partir da realidade educativa do Brasil, à luz da fé cristã, propondo caminhos em favor do humanismo integral e solidário.


Objetivos Específicos


1. Analisar o contexto da educação na cultura atual, e seus desafios potencializados pela pandemia.


2. Verificar o impacto das políticas públicas na educação.


3. Identificar valores e referências da Palavra de Deus e da Tradição cristã em vista de uma educação humanizadora na perspectiva do Reino de Deus.


4. Pensar o papel da família, da comunidade de fé e da sociedade no processo educativo, com a colaboração dos educadores e das instituições de ensino.


5. Incentivar propostas educativas que, enraizadas no Evangelho, promovam a dignidade humana, a experiência do transcendente, a cultura do encontro e o cuidado com a casa comum.


6. Estimular a organização do serviço pastoral junto a escolas, universidades, centros comunitários e outros espaços educativos, em especial das instituições católicas de ensino.


7. Promover uma educação comprometida com novas formas de economia, de política e de progresso verdadeiramente a serviço da vida humana, em especial, dos mais pobres.


Como sugestão a condução pode trazer o livrinho do ano para apresentar na reunião, estimular através de grupos reflexões à cerca do tema e incentivar que nossas reflexões se estendam a amigos, família e paróquia, por exemplo.


Palavras-chave: Comunhão; Fraternidade; Diálogo; Educação; Fé, Conversão.


Sugestões de link: https://campanhas.cnbb.org.br/sobre-a-campanha-da-fraternidade-2022.html


Sugestões de músicas: Projeto Absurdo



28.FEV A 06.MAR – ORAÇÃO – SOMOS PÓ E AO PÓ VOLTAREMOS


A quarta-feira de cinzas foi instituída há muito tempo pela igreja e marca o início de um tempo de jejum, oração e caridade, a quaresma. As cinzas postas sobre as nossas cabeças nos recordam que somos pó e ao pó da terra voltaremos (cf. Gn 3, 19). A quaresma são os 40 dias que antecedem a principal celebração do cristianismo que a Ressureição de Jesus, a Páscoa.


É um tempo propício a aprendizados e a conversão. Toda igreja está voltada a celebrações e ritos que nos ajudam viver melhor esse tempo. A começar pela quarta-feira de cinzas, as confissões, as vias sacras, vigílias, celebrações como a Sexta-feira da Paixão, Sábado de Aleluia e a Páscoa. Que possamos nos permitir viver juntos esse período.


Como sugestão: O grupo pode organizar um momento de partilha e oração.

Uma boa prática é inserir questionamentos do exame de consciência na oração, intercalado por músicas e incentivar, ao fim, que busquemos a confissão.

Pode ser realizado, também, um propósito para viver juntos, como uma ave-maria no grupo todos os dias, uma ação caridosa, entre outros.


Palavras-chave: Oração; Jejum; Caridade; Conversão.

Sugestões de link: https://formacao.cancaonova.com/espiritualidade/vida-de-oracao/como-fazer-um-bom-exame-de-consciencia/

Sugestões de músicas: Momento meu; Luz da Vida; Meu Deus, Meu Senhor; Ecoar; Sintonia; Pessoa de luz.



20.FEV a 26.FEV – COMPORTAMENTO – QUERO SER LIVRE!


Queremos ser livres, mas o que é a liberdade? Talvez a possibilidade de pensar com a própria cabeça e não com a cabeça do outro. Ser livre, pode ser, pensar, escolher e agir com critérios pessoais, é se encontrar e descobrir como pessoa. Muitas vezes decidimos e agimos para agradar os outros, ou por medo do que irão pensar ou dizer. Conquistar a liberdade é ser criativo, espontâneo, original e solidário. Na sociedade somos muito influenciados e tomamos decisões para seguir, muitas vezes, os padrões e sermos aceitos. Devemos ter claro o que é ser livre.


Cristo nos chamou a liberdade e é pela liberdade que mais nos assemelhamos a Deus, sem ela seriamos como os animais ou como os robôs. Por isso, Deus se revela a nós de maneira tão humilde para não forçar a nossa liberdade e abraça-lo sem convicção, isto é, por medo ou por outro motivo qualquer que não seja o amor a Ele.

Se Deus aparecesse a nós na sua glória, poder e majestade, nossa liberdade seria “desrespeitada” por ele, não conseguiríamos dizer livremente não a Ele, pois o fulgor da sua grandeza nos dominaria. Então deixaríamos de ser plenamente livres, sua imagem e semelhança. O renderíamos a Ele pela força de sua majestade, e não pela escolha livre. E sem liberdade não existe verdadeiro amor.


A liberdade nos implica escolhas e toda escolha há consequências. Para entender melhor:


· São agentes externos que nos aprisionam (nossa família, estudo, trabalho e igreja, por exemplo), ou somos nós mesmos (nossas vontades, desejos e vícios)?

· Será que associamos a liberdade a tentar saciar sempre o que queremos? Isso nos fará feliz? O que é a verdadeira liberdade?

· Jesus veio para nos libertar. Qual a liberdade que nos foi dada?


Dica Dinâmica: Pode ser levado para a reunião “correntes” de papel e iniciar a reunião acorrentando as duas mãos das pessoas, de modo que a própria pessoa não consiga se soltar, no fim da reunião trazer questionamentos:


· Porque essa corrente nos incomoda tanto? O que ela representa?

· Será que conseguimos ter o controle de tudo? Ou precisamos de auxílio para sermos verdadeiramente livres?


Palavras-chave: Liberdade; Escolhas; Amadurecimento; Amor.

Sugestões de passagens: Gl 5, 1; Jo 8, 31 – 36; I Cor 6, 12.

Sugestões de músicas: Talismã; Identidade; Total dimensão; Claridade


13.FEV a 19.FEV – ESTUDO – ENSINAMENTOS DOS SANTOS


Todos nós conhecemos um pouco da história de algum santo, seja por termos ouvido na liturgia da missa (como no caso dos apóstolos) ou por ser um santo conhecido da sua cidade (como irmã Dulce aqui em Salvador). Mas por que existem os santos?


Calma, calma, antes do porquê, temos que buscar o que define "ser santo"?


É muito comum supor que santo é aquele que é perfeito, que nunca erra, sempre faz tudo certo. No entanto, não é bem assim. Paulo, por muitos anos, foi perseguidor dos cristãos e hoje é santo. Mas você pode pensar: Ah, isso foi antes de ele conhecer quem era Jesus. Tá bem, mas e Pedro? Pedro negou Jesus, na noite da sua Paixão, mesmo tendo passado 3 anos acompanhando a vida de Cristo.


Sim, meus amigos, os santos não foram perfeitos, mas buscaram unir suas vidas à de Cristo a cada dia.

Apesar de suas várias imperfeições e dos erros cometidos, se esforçaram para tornarem-se pessoas melhores, mais caridosas e compassivas. Se esforçaram para renunciarem suas vontades e servirem mais.


Por isso é importante para nós conhecermos a vida dos santos! Com seus testemunhos podemos aprender a lidar melhor com as nossas dificuldades e a servirmos melhor a Deus através de nossos dons, como eles fizeram.

Alguns santos deixaram, além de seus testemunhos, livros e textos que podem ser encontrados até hoje e nos inspirar a buscarmos também a santidade. Afinal, foi um pedido do próprio Jesus: "Portanto, sede santos, assim como vosso Pai celeste é Santo" - MT 5, 48.

Sendo assim, os santos servem como exemplos e também como intercessores! Eles podem pedir a Deus por nós e por nossas intenções.


Você tem algum santo de devoção? Que tal conhecer um pouco mais da história de alguns santos?

● Trazer a história resumida de 2 a 3 santos. Com isso, podemos mostrar a humanidade dessas pessoas que escolheram livremente seguir a Deus e que é um chamado para todos nós.

OU

● Jogo do "Qual é o Santo?": dividir os participantes em grupos. Será entregue uma frase por grupo, correspondente a um santo. Os grupos terão que debater entre si e descobrir qual o santo que disse ou escreveu aquela frase. Se acharem necessário, podem deixar algumas opções de santos disponíveis para facilitar.


Após a dinâmica terminar, pedir para que os grupos conversem: se já conheciam a frase ou o santo, se têm algum santo de devoção, se já pensaram sobre o chamado a santidade?


Opções de frases de santos:

● "O Bom Deus me dá coragem na proporção dos meus sofrimentos." - Santa Teresinha do Menino Jesus

● "Quem não deixa de caminhar, mesmo que tarde, afinal chega. Para mim, perder o caminho é abandonar a oração". - Santa Teresa D'Ávila

● "A celebração da Eucaristia não é só o dever mais sagrado, mas, sobretudo, a necessidade mais profunda da alma"- São João Paulo II

● "Quereis cantar louvores a Deus? Sede vós mesmos o canto que ides cantar. Vós sereis o seu maior louvor, se viverdes santamente." - Santo Agostinho

● "Por que razão, ao julgares os outros, pões na tua crítica o amargor dos teus próprios fracassos?" - São Josemaria Escrivá.


Palavras-chave: Santos; Santidade; Ensinamentos; Devoção; Fé; Amadurecimento.

Sugestões de passagens: Mt 5, 48.

Sugestões de músicas: Somos nós; Canção dos apóstolos; Vocação.



06.FEV a 12.FEV – COMPORTAMENTO – COMO ESTOU USANDO MEU TEMPO?


O ano novo sempre nos traz reflexões sobre o que fizemos, como agimos e como podemos ser melhores. Estamos agora começando um novo ano no Movimento Escalada, retornando aos poucos para o nosso convívio nos zonais e atividades paroquiais, e queremos fazer muitas coisas, temos muitos planos.

Por isso trazemos esse momento de reflexão e oração para vocês: como temos investido o nosso tempo? Gasto muito tempo nas redes sociais e deixo meus estudos e trabalho para a última hora? Uso meu tempo em casa para trabalhar e deixo de dar atenção aos meus familiares? Tenho tempo para fazer tudo (sair com amigos, trabalhar, estudar, passear, etc.), mas não tenho tempo de rezar um terço?

Cada minuto da nossa vida é tomado por decisões e decidimos baseado nas prioridades que damos às coisas. Como em tudo, devemos entregar o que temos a Deus (as opções e as dúvidas) e pedir que Ele nos ajude a escolher sempre o que nos leva para mais perto Dele.

Pode ser feita uma dinâmica que leve cada participante a avaliar quanto tempo do dia gasta para cada área da vida: trabalho, estudo, família, amigos, lazer e fé.

Como, por exemplo, desenhar um relógio, dividir as horas e pedir para cada um marcar quanto tempo dá para cada uma dessas áreas ou cada um anotar em um papel como se organiza em relação a esses pontos.

Deixar um tempo para que eles meditem: o tempo que estão dando para cada uma dessas coisas é compatível com a importância, com a prioridade que essa área tem na sua vida? Tem coisas que têm pouca prioridade, mas consomem muito tempo do seu dia? Como você poderia equilibrar melhor essa divisão?

Por fim, propor um momento de oração em silêncio ou com músicas para que cada um possa conversar com Deus sobre o que refletiu e pedir sabedoria para usar melhor o seu tempo.


Palavras-chave: Oração; Entrega; Tempo; Prioridade.

Sugestões de passagens: Filipenses 6, 4-8.

Sugestões de músicas: Luz da vida; Tempo de escutar; Transformação.



 

#calendáriotemático