Calendário Temático 2022

26.NOV A 02.DEZ – ORAÇÃO – INTERCESSÃO: SÚPLICA E PERSEVERANÇA


Você sabe o que é intercessão?


No Youcat, número 487, traz o questionamento “Por que devemos pedir a Deus por outras pessoas?”. Ele revela que “Tal como Abraão pediu pelos habitantes de Sodoma, tal como Jesus orou pelos seus discípulos, tal como a primitiva comunidade não considerava <<apenas o próprio bem-estar, mas o bem-estar dos outros>> (Fl 2,4), também os cristãos oram sempre por todos os que estão no seu coração, mesmo estando eles longe e mesmo sendo eles seus inimigos. [2634-2636, 2647]


Sendo assim, intercessão é, essencialmente, uma atitude. É estar disposto a orar pelo outro, ser fonte de fé e súplica. É se colocar à disposição por amor, e entender o poder que a oração tem e pode mudar a vida do seu irmão (ã).


No entanto, é importante internalizar a necessidade da constância na fé, de ser perseverante, de fortalecer a sua chama para poder, assim, ser fonte de luz para o outro. Como vemos em Lucas 22:32: “Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, fortalece teus irmãos.” Portanto, todo dia nossa fé deve ser colocada em prática, tendo como direcionamento diário sempre a nossa missão como cristão, ou seja, amar e servir o próximo através da evangelização, oração e ações guiadas sempre pelo o Espírito Santo.


Sugestão de dinâmica:


Rezar o terço focando na intercessão.


Organização: Ir formando um terço gigante no chão. As contas podem ser de flores, velas, etc.


Mistérios: A cada mistério, além de contemplar o mistério do dia, fazer pedidos em prol de:


1º mistério: Mistério do dia e rezar pelo ‘Âmbito saúde’.


A cada Ave Maria uma pessoa do círculo irá colocar uma intenção nesse âmbito. Exemplo:

“Pelas crianças com câncer” – Ave Maria cheia de graças...

“Pelos idosos que sofrem” – Ave Maria cheia de graças...

“Pela tia Ana que está internada” – Ave Maria cheia de graças...

(...)

até completar as 10 Ave Marias.


2º mistério: Mistério do dia e rezar pelo ‘Âmbito família’.


“Pelas famílias que sofrem” – Ave Maria cheia de graças...

“Pelas mães solo” – Ave Maria cheia de graças...

“Por meu primo X” – Ave Maria cheia de graças...

(...)

até completar as 10 Ave Marias.


3º mistério: Mistério do dia e rezar pelo ‘Âmbito profissional’.


“Pelos professores” – Ave Maria cheia de graças...

“Pelos enfermeiros” – Ave Maria cheia de graças...

“Pelos profissionais que passam por problemas financeiros” - Ave Maria cheia de graças...

(...)

até completar as 10 Ave Marias.


4º mistério: Mistério do dia e rezar pelo ‘Âmbito social’.


“Pelos que passam fome” – Ave Maria cheia de graças...

“Pelos políticos” – Ave Maria cheia de graças...

“Pela educação” - Ave Maria cheia de graças...

(...)

até completar as 10 Ave Marias.


5º mistério: Mistério do dia e rezar pelo ‘Âmbito igreja’.


“Pelo Papa” – Ave Maria cheia de graças...

“Pelos padres” – Ave Maria cheia de graças...

“Pelos jovens” - Ave Maria cheia de graças...

(...)

até completar as 10 Ave Marias.


Palavras-chave: Intercessão; Fé; Caridade; Terço.

Sugestões de músicas: Oração de São Francisco; Teu Amor.


19.NOV A 25.NOV – ESTUDO – CIÊNCIA E FÉ


Vale a pena acreditar no que os olhos não podem ver. A Bíblia diz em Hebreus 11:1 “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem”. Mas e quando o mundo evolui tanto ao ponto existirem explicações para quase tudo? É nesse “quase” que entra Deus. “Porém, ainda que a fé esteja acima da razão, não poderá jamais haver a verdadeira desarmonia entre uma e outra porquanto o mesmo Deus que revela mistérios e infunda a fé dotou o espírito humano da luz da razão.” (CIC 159).


Aprofundar-se em temas como “Fé e Ciência” faz com que reafirmemos o nosso compromisso com a Igreja. “Ninguém consegue chegar ao conhecimento das coisas divinas e humanas se antes não aprendeu matemática solidamente” Santo Agostinho (354-430), ou seja, para aprofundarmos a nossa fé, precisamos entender e ter contato com as coisas do mundo e assim, dentro do mundo, termos contato com as coisas de Deus.


Por exemplo, por que nascemos com dons? Por que nascemos na família que nascemos? Como o universo se organizou no princípio para que os atros estivessem alinhados perfeitamente? Tudo isso a Ciência já explicou, mas não ao nível da Fé. Para que a existência humana se consolidasse na terra, precisaríamos de algo perfeito idealizando o imperfeito, como diria Rene Descartes. Muitos filósofos e cientistas, como ele, comprovam através dos estudos a existência de uma luz maior que provem e guia o universo. Entretanto, infelizmente, muitos, em ato de ingratidão, não reconhecem que o dom da ciência vem de Deus. Não entendendo então, que Fé e Ciência são irmãs e andam lado a lado.


Palavras-chave: Fé; Ciência.

Sugestões de leitura: Catecismo da Igreja Católica 159

Sugestões de músicas: Há uma luz maior


12.NOV A 18.NOV - TEMA LIVRE


05.NOV A 11.NOV – COMPORTAMENTO – SER CRISTÃO É ALGO PRIVADO? PRECISAMOS SAMARITANAR NAS REDES SOCIAIS!


Papa Francisco, agora em 2022, nos convidou a samaritanar nas redes sociais. “Que a missão que vocês realizam nos espaços digitais seja plena de humanidade. Vão ‘samaritanar’ estes ambientes, para que a cultura contemporânea possa conhecer Deus, sentindo-O em vocês; vão e tragam a esperança de Jesus, especialmente para os que estão mais distantes, dando-lhes razões para a esperança que está neles” (Papa Francisco). Papa Bento XVI trouxe também em suas falas “As redes sociais, para além de instrumento de evangelização, podem ser um fator de desenvolvimento humano.”


E como tem sido a nossa vida virtual? Existe diferença entre o eu físico e o eu virtual? Qual rastro o meu contato com o mundo deixa? Nas redes sociais, muitas vezes, costumamos mascarar nossas vidas e postar apenas aquilo que as outras pessoas querem ver. Não devemos ter vergonha das nossas crenças, nem receio de expressar a nossa fé, por questão de julgamentos e inseguranças.


O Docat diz na pergunta 305: “Ninguém pode ser cristão apenas para disso se aproveitar privadamente. Ir ao encontro de Jesus, procurar a sua amizade, segui-lo, significa também declarar-se publicamente por ele, deixar que ele me fale e me confie uma missão. “Vós sois a luz do mundo. Ninguém acende uma lâmpada para a colocar debaixo de uma vasilha, mas sim para a colocar no candeeiro, onde ela brilha para todos os que estão em casa” (MT 5,14-15). Todos nós, que fomos batizados e confirmados - mesmo se não fomos propriamente investidos na missão como padres, diáconos, catequistas, professores de religião -, somos "mensageiros" e "testemunhas" do Evangelho. "Ide pelo mundo inteiro", diz-nos Jesus, "e anunciai a Boa Notícia a toda a humanidade" (Mc 16,15) e "'... fazei com que todos os povos se tornem meus discípulos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo!" (MT 28,19). Para anunciarmos por palavras e por obras o Reino de Deus, Ele dá-nos os sete dons do Espírito Santo.”


As redes podem ser usadas tanto para o bem quanto para o mal. Cabe muito a reflexão do cuidado para além do que postamos, mas muita atenção ao que consumimos. Vivemos em um mundo sem filtros, as vezes é mais atrativo ver um vídeo de um youtuber falando do evangelho do que realizarmos a nossa a própria leitura orante da bíblia, o mesmo acontece com o catecismo. Não nos tornemos jovens preguiçosos, que precisamos que o outro pense em nosso lugar e nos direcione a apenas o seu pensamento. É preciso pedir Deus sabedoria para samaritanar com discernimento, com respeito e promovendo o amor. Cabe a nós sermos agentes de transformação e evangelizarmos a todo tempo.


Sugestão de dinâmica: Dividir em grupos e entregar as perguntas abaixo.

Como está meu uso das redes sociais?

Tenho evangelizado nas redes sociais?

Tenho usado as redes para o mal?

Qual o sentimento que você tem ao olhar as suas redes sociais?

Como você se sente depois de usar intensamente a rede social?


Palavras-chave: Internet; Evangelização; Redes Sociais; Fé; Exemplo.

Sugestões de leitura: Docat (página 47-53)

Sugestões de músicas: Transformação; Geração; Jeito de viver; Evangelizar é bala; Ser cristão.


29.OUT A 04.NOV – ORAÇÃO – ORAÇÃO PELA ARTE


Como sabemos, existem diversas formas de orar, de nos comunicar e entrar em sintonia com Deus. Dentro do nosso movimento, costumamos orar bastante através das artes, principalmente através da música. 


A música exerce um papel importantíssimo na nossa rotina de oração, ela nos sensibiliza e nos ajuda a silenciar o nosso interior, facilitando nossa conexão com Deus no momento da oração. Mas não é só através da música que as artes se fazem presentes em nossas orações, a dança, o teatro, a literatura e a pintura, por exemplo, também podem incrementar nossas conversas com Deus. Tudo depende do propósito e da intenção que estamos colocando ao realizar alguma dessas ações artísticas.


Além da arte nos ajudar a orar, através dela é possível colocar nossos dons artísticos a serviço, como cantando na missa, participando de vias sacras, apresentações da igreja, etc. Tudo isso é uma forma de levar Cristo ao outro, a cada coreografia, pintura, verso, música, estamos comunicando Deus ao mundo e isso nos confirma que somos imagem e semelhança Dele, graças a Ele somos capazes de usar a nossa criatividade e realizar coisas belas, assim como Ele mesmo faz.


Fora tudo isso, a arte ainda tem um papel super importante: o papel social. A arte cria um ambiente de integração, a nível social, racial e político. Por isso, é importante que nós, como cristãos, sempre incentivemos as atividades artísticas dentro da nossa paróquia ou movimento.


Sugestão de dinâmica: Incentivar os presentes a criarem uma arte durante o zonal (música, poesia, oração, dança).


Palavras-chave: Oração; Arte; Dons.

Sugestões de passagem: Salmos 149, 2-3; Salmos 96,1-2; Êxodo 15, 20-21

Sugestão de link: opa.art.br


22.OUT A 28.OUT – COMPORTAMENTO – PROTAGONISMO JOVEM


O que é ser protagonista? É o indivíduo que tem papel de destaque no acontecimento. Temos sido protagonistas de nossas vidas? Temos tomado decisões a partir de reflexões e discernimento através do Espírito Santo? Ou apenas deixado a “vida me levar”?


Papa Francisco, na Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, nos chama a ser uma igreja em saída, ou seja, deixar nosso comodismo e viver atentos a realidade que estamos inseridos. Ele traz que é preferível “uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas, a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças” (EG49).


Pensar se estamos sendo omissos, se temos buscado apenas o conforto próprio através das nossas ações, se temos sido reflexo do Espírito Santo - vento leve, porém transformador - mexe muito conosco. É fácil perder horas no celular não fazendo nada, enquanto nosso tempo escorre pelas nossas mãos, é fácil ver a dor corriqueira do outro e não se sensibilizar. Vivemos numa sociedade egoísta e se nosso olhar não tiver fixo no Cristo nos transformamos em coadjuvantes da nossa preciosa vida. 


Deus nos chama a amar, a agir, a ser o Teu rosto na Terra. Nossa passagem é breve, mas Deus escolheu nossa pequena alma para estar aqui. Sejamos agentes da transformação, e não nos esqueçamos que é o cotidiano que escreve o nosso caminho e o final feliz que almejamos é o céu. 


“Mas pra mudar tem que ter fé, tem que ser luz

Ser o fio que conduz a energia do amor

Tem que ter força pra mudar a direção

Vou mostrar que sou cristão

Com orgulho e sem temor.”


Palavras-chave: Protagonismo; Ação.

Sugestões de passagem: Salmo 46, 1-3

Sugestões de músicas: Geração; Transformação; A começar em mim (Vocal livre); Ecoar; Há uma luz maior; Brilhe a tua luz; Guetos.


15.OUT A 21.OUT – ESTUDO – JOGO: AS MORADAS DO CASTELO INTERIOR (SANTA TERESA D’ÁVILA)


Santa Teresa de Ávila ou Santa Teresa de Jesus, nasceu na cidade de Ávila, na Espanha, em 1515. Foi criada numa família católica e decidiu entrar na ordem das Carmelitas, aos 20 anos de idade. De acordo com sua biografia, Teresa viveu por muitos anos no Carmelo vivendo uma "fé relaxada", dando espaço para apegos e conversas destrutivas. Após contemplar uma imagem de Jesus sofrendo, iniciou seu processo de conversão e retorno à espiritualidade carmelita.


Com seu estudo e oração, propôs mudanças para o Carmelo, a partir dos seus 40 anos de idade. Embora tenha tido oposição, Santa Teresa conseguiu implementar as mudanças em todos os Carmelos para que este carisma fosse vivido de maneira fiel à vontade de Deus.


Dentre os muitos escritos deixados por Santa Teresa, temos "O Castelo Interior'', no qual ela explica como nossa alma é um castelo com várias moradas. Ao adentrar mais profundamente em cada morada, aumentamos nosso conhecimento sobre nós mesmos e nossa intimidade com Deus, até chegarmos na morada mais profunda, onde o próprio Deus reside.


Propomos para essa semana um jogo para entender melhor a metodologia de Santa Teresa D’Ávila sobre as moradas do nosso castelo interior.


Palavras-chave: Oração; Santa Teresa D’Ávila; Castelo Interior; Alma.

Sugestões de leitura: Livro ‘As Moradas do Castelo Interior’.

Links Jogo (Instruções e Tabuleiro): Tabuleiro; Instruções.


08.OUT A 14.OUT - TEMA LIVRE


01.OUT A 07.OUT – ORAÇÃO – COMO VIVER NOSSO CARISMA: SER PESSOA EM CLIMA DE ORAÇÃO


Como alpinistas buscamos sempre despertar o nosso carisma em nós e no outro, e como é importante saber exatamente o que significa este termo. Afinal buscamos centrar nossa vida através dele, é como uma identidade.


Por carisma se conhece a definição paulina de “graças especiais (conhecidas “carismas”) mediante as quais os fiéis ficam “preparados e dispostos para assumir vários compromissos ou ministérios que contribuem para renovar e construir ainda mais a Igreja” (LG 12: cf.AA 3). Espetaculares ou simples e humildes, os carismas são graças do Espírito Santo, que têm direta ou indiretamente uma utilidade eclesial; os carismas estão ordenados à edificação da Igreja, ao bem estar dos homens e às necessidades do mundo”.


Portanto o carisma é uma graça especial que o Espírito Santo deixa para o bem da Igreja. Não existe uma classificação de carismas. Sendo assim existem muitos tipos. Mas os principais elementos que os compõem serão sempre dois:


1. Provêm do Espírito Santo e 2. Estão para a edificação da Igreja.


O nosso carisma está voltado a “Ser Pessoa em Clima de Oração” que reflete na cruz de Ser Pessoa, nos mostrando como ser cristão em todos ambientes. Somos jovens evangelizando jovens, apresentamos uma nova face de Cristo, possível de se ver ao olhar o irmão e ao nos olharmos no espelho. Buscamos com a nossa juventude a vitalidade, paixão e criatividade pulsantes, para que sejamos agentes de transformação. Nossas músicas, nossos serviços, refletem quem somos para Deus quanto carisma. Mas temos realmente vividos o que Deus através do nosso movimento nos chama? Nós refletimos a bondade e o amor divino? É necessário estar cada vez mais próximos de Deus fortalecendo a espiritualidade, base da vida cristã, por meio da vida de oração.


No entanto, pode parecer complexo avançar no caminho espiritual. Por isso, elencamos 5 dicas para fortalecer a espiritualidade e viver nosso carisma.


1) Primeiro precisamos estar a par do tripé fundamental: Oração, Estudo e Ação. O que se assemelha muito com os nossos zonais, momentos de oração, estudo e comportamento. Podemos exemplificar com a Bíblia, que está no âmbito da oração, é a Palavra Revelada. O Catecismo, o Direito Canônico... Estão no campo do estudo. E a ação é fruto da oração, como lidamos com tudo a nossa volta a partir do novo olhar revelado pela oração, nosso comportamento. Como anda esse tripé da nossa vida?


2) A fé Católica é baseada na Sagrada Escritura, Magistério e Tradição. Mas para fortalecimento da fé e da vida espiritual devemos ter como foco principal a Palavra do Deus, a Bíblia, pois não se ama aquilo que não se conhece. E precisamos lembrar: talvez sejamos a única bíblia que o outro vai ler. Desse modo, é essencial a prática contínua da leitura orante: Ler, Meditar, Orar e Contemplar. Que tal a leitura orante diária com o evangelho do dia?


3) Para melhor vivenciar os momentos de oração determine um lugar. Um local onde não seja incomodado, com baixa iluminação e clima agradável, o que tende a propiciar a tranquilidade que requer o Espírito Santo. Mateus 6,6 nos revela: “Mas, quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o recompensará”. Por isso, sempre que possível, reserve um horário do seu dia e local adequado para se conectar com Deus.


4) Tente fazer sua oração o mais cedo possível. Assim, o seu dia inteiro é iluminado!


5) Mesmo que este momento seja breve, espere-o e viva-o como o auge do seu dia. Estes são os minutos separados e escolhidos para nos conectar com o Pai, amando-o de todo o nosso coração. O momento de oração pode ser vivido também de forma espontânea, dividido em 5 etapas: I) Perdão: peça perdão pelos seus pecados; II) Súplica: Simplesmente apresente o seu pedido ao Senhor; III) Adoração: período de absoluta beleza e culto ao Senhor. É o momento de Amá-lo e Adorá-Lo, esquecendo de si mesmo e focando em Deus; IV) Intercessão: A escritura ensina que, se formos fiéis nas pequenas coisas, Deus nos dará mais, e esse momento lutamos com todas as forças ao orar por nossa família, amigos e ministros, e até por nações, através da intercessão, da ajuda e da conexão dos Santos e da Virgem Maria; V) Agradecimento: Agradeça a Deus pela sua vida, pelas pessoas, inclusive pelas coisas simples do nosso dia-a-dia.


6) Além dessas formas de oração, aproveite a sua rotina! Reze o terço no ônibus, durante o percurso para o trabalho ou faculdade/escola, escute as músicas do movimento, reze com elas, elas possuem uma linda riqueza espiritual, enquanto lava os pratos ou realiza outras atividades domésticas etc. Aproveite!


Então, como parte prática, convide os membros do seu zonal ou projeto a fazerem um momento de oração com Bíblia. Após o conteúdo introdutório sobre o nosso carisma, peça para encontrarem um local reservado e confortável, onde abram a bíblia e façam a leitura orante da passagem João 1, 35 – 51. Após todos terem finalizado, abra para partilha e, por fim, rezem juntos através de nossas músicas. Se possível preparem um som ambiente para propiciar a oração.


Palavras-chave: Carisma; Oração; Juventude; Fé.

Sugestões de passagem: João 1, 35 – 51; Mateus 6,6.

Sugestões de músicas: Enquanto há Deus, há missão; Jeito de viver; Tempo de escutar.



24.SET A 30.SET – COMPORTAMENTO – COMO SE PREPARAR PARA A RESPOSTA DE DEUS


Como temos nos preparado para a resposta de Deus? Temos vividos inquietos por não entender seus planos? Os santos sempre esperaram e nem sempre a resposta foi rápida. Personagens da bíblia como José, Abraão e Moisés, viveram tempos de espera. Deus tem um tempo que é só d'Ele e é sempre o melhor.


Só nós e Deus sabemos o que norteia o nosso coração e quais as respostas temos pedido a Deus. Mas temos vivido firmes na fé em busca da nossa missão? Temos experimentado viver o kairós de Deus, o seu tempo que toca a Terra, em nossa vida? Maria, mãe de Jesus, não permitia que sua inquietação interior prevalecesse perante os sonhos e planos de Deus para sua vida.


Com humildade e escuta, precisamos amadurecer a nossa fé para entender que somos criaturas nas mãos de um Deus que tudo sabe, que muito ama e que nEle tudo se espera.


No dia 23 de setembro a igreja celebra a vida de um grande Santo, São Padre Pio, este tem um lindo testemunho de como lidou com as respostas de Deus ao longo de sua vida. Seu nome verdadeiro era Francesco Forgione, ainda criança tinha uma inigualável admiração por Nossa Senhora e por Jesus, os quais via constantemente devido à grande familiaridade. Ainda pequenino havia se tornado amigo do seu Anjo da Guarda, a quem recorria, muitas vezes, para auxiliá-lo no seu trajeto nos caminhos do Evangelho.


Com quinze anos de idade entrou no Noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, mas após a ordenação, Padre Pio precisou ficar anos com sua família por motivos de saúde. Abrasado pelo amor de Deus, marcado pelo sofrimento e profundamente imerso nas realidades sobrenaturais, Padre Pio recebeu os estigmas, sinais da Paixão de Jesus Cristo, em seu próprio corpo. Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava, por meio desse sacramento, aliviar os sofrimentos atrozes do coração de seus fiéis.


Devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, Padre Pio cria os grupos de oração, verdadeiras células catalisadoras do amor e da paz de Deus, para serem instrumentos dessas virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos. De 1918 a 1968, ano de sua morte, os estigmas o fizeram sofrer muito. Sofreu insultos, calúnias, foi investigado, até proibido de celebrar Missas para os fiéis. Os médicos realizaram exames em suas chagas e disseram que se tratava de algo sobrenatural.


Padre Pio buscava no seu apostolado da cruz de Nosso Senhor toda a força e a sabedoria para viver a sua missão. Desde o início, compreendeu o seu caminho de cruz e o aceitou imediatamente como vontade de Deus. Por amor, levou sua cruz ao longo de sua vida. Padre Pio dizia: “Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar!”.


A oração é um dos maiores dons que recebemos de Deus, a forma mais eficiente de comunicação entre nós e Nosso Pai que está nos céus. Diante da resposta de Deus, é preciso estar de prontidão para recebê-la. Em nossas orações, é importante sempre pedir discernimento a Deus para entender e respeitar os seus desígnios. Além de manter com Ele intimidade de forma que possamos reconhecer essas respostas, que nos serão dadas e podem ser confirmadas através da Bíblia.


Palavras-chave: Respostas; Espera; Kairós; São Padre Pio; Oração.

Sugestões de passagem: João 13,7.

Sugestões de músicas: Tempo de escutar.


17.SET A 23.SET – TEMA LIVRE


10.SET A 16.SET – ESTUDO – MULHERES NA BÍBLIA


Você conhece as mulheres citadas na Bíblia?


As figuras femininas mencionadas na Bíblia são inspiradoras, elas aparecem em contextos diversos, mas sempre apresentando perseverança na oração e no propósito de Deus. Dessa forma, tais mulheres são grandes exemplos de vida Cristã e suas histórias trazem importantes lições para nossa caminhada de fé.


Não poderíamos iniciar sem falar daquela deu a luz para o nosso Salvador, Jesus Cristo. Maria nos trouxe uma vida dotada de virtudes que nos ensina a todo instante. Eva, a primeira mulher a pisar na face da Terra, mesmo com o ato de desobediência à Deus, nos ensina sobre o verdadeiro autoconhecimento que vem de Deus, quem somos para Ele. Ana, a estéril que nos mostra como a fé e a confiança em Deus literalmente move a nossa vida. Sarah, a mãe do povo de Israel. Maria Madalena, aquela que foi a “pecadora” salva por Jesus e que, atualmente, mais precisamente a partir de 2016 foi intitulada pelo líder máximo da igreja católica, o Papa Francisco, como apóstola. Diferente dos discípulos que foram tomados pelo medo e se esconderam ou Pedro que negou conhecer Jesus, quando este foi capturado pelos soldados, Maria Madalena acompanhou e chorou a via crucis de Jesus, ao lado de sua mãe. Em João 19:25 Jesus, já na cruz, observa a presença firme de Maria Madalena e de Maria de Nazaré. Também foi Maria Madalena quem percebeu que o sepulcro de Jesus havia sido violado. Chorando muito, provavelmente com a cabeça baixa, por não ter encontrado o corpo de Jesus, Maria Madalena é surpreendida em momento seguinte pela presença de anjos e o próprio Cristo, que a identificou pelo seu nome. Reconhecendo a voz, ela responde assustada e feliz: Mestre!


Além das aqui citadas acima, vamos conhecer um pouco melhor a história de Débora, Rute e Ester.


1. Débora:


Débora foi uma profetisa e juíza de Israel, e ali os israelitas de diversas tribos procuravam ela para buscar soluções para suas questões, sendo responsável por arbitrar as disputas desse povo.


Apesar dela ser uma juíza de causas ordinárias, foi ela quem resolveu os problemas da fragmentação das tribos de Israel, unificando-as e convocando para seguir a palavra de Deus.


Ela apoiou corajosamente o povo de Deus, convocando Baraque para comandar os israelitas numa guerra contra os cananeus. Além disso, acompanhou-o na batalha, já que Baraque insistiu que só iria para a batalha na presença dela.


Com a vitória de Israel, Débora ficou conhecida como a pessoa que liderou a libertação do povo de Israel da opressão de Jabim, rei dos cananeus (Jz 5). Sendo assim, ela se tornou uma líder civil e militar, e sua coragem e disposição de se sacrificar pelo seu povo os inspirou a seguir a vontade de Deus.


2. Rute:


Rute como mulher e estrangeira, tinha dois motivos para sofrer com a marginalização social, mas se desenvolveu como uma mulher forte e consistente.


Ela tinha uma relação muito afetuosa com sua sogra, Noemi, que veio a perder seus dois filhos, sendo um o marido de Rute. Mas pela relação que elas tinham construído, Rute resolveu voltar com Noemi para a terra natal dela.


Essa decisão de Rute implica na mudança da sua nacionalidade, e também na mudança da sua religião. Então, ela abandonou a fé do seu povo para seguir a Deus. Ela se demonstra uma pessoa devota e íntegra, principalmente quando se trata de seguir a lei judaica, que por ela ser estrangeira, não era obrigada a cumprir.

Além disso, Rute garantiu o nascimento de Davi, um dos mais importantes reis de Israel, pois casou-se com Boaz, e deu a luz a Obede, este veio a ser o avô de Davi. Através da sua história, Rute se torna um exemplo de persistência, lealdade, sacrifício e amor a Deus, tendo trabalhado humildemente e servido lealmente ao povo de Deus.


3. Ester:


Ester foi uma rainha da Pérsia que foi utilizada por Deus para salvar todo o povo judeu, nessa época o povo de Israel estava sob domínio da Pérsia. Ela descobriu um plano para exterminar todos os judeus e após um período de oração e jejum de três dias, intercedeu pelo povo judeu, convencendo o rei a publicar um decreto autorizando o povo a guerrear para se defender e a vitória dos judeus evita a destruição do seu povo.


Ester demonstra sua fé diante das situações difíceis, buscando a Deus para tomar decisões, também se tornou um exemplo de coragem e devoção, sendo um instrumento de Deus para salvar o povo judeu.


Em suma, na bíblia contamos com a presença de diversas mulheres fortes, cheias de fé e virtudes e que utilizam de suas características femininas para transformar a realidade que as cercam. Débora, Rute e Ester são exemplos de mulheres que se dedicaram a Deus e foram Igreja dentro de suas realidades, colocando seus dons e virtudes a serviço do outro.


Palavras-chave: Mulher; Débora; Rute; Ester; Fé; Exemplo.

Sugestões de passagem: Rt 1,16.

Sugestões de músicas: Convite (despertar); Enquanto há Deus, há missão; Jeito de viver.


02.SET A 09.SET – ORAÇÃO – PASSAGENS DO GRÃO DE MOSTARDA


Iniciamos em setembro o mês da bíblia e como cristãos somos convidados a ter um olhar ainda mais atendo aos diversos ensinamentos que Deus nos envia através de sua palavra. Em diversos momentos parábolas se conectam nos livros existentes, como as analogias ao grão de mostarda.


O grão de mostarda é a menor das sementes. Mas, ao ser plantada, torna-se árvore; maior que todas as hortaliças. Essa, estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra.


“A menor das sementes”. A fé é uma virtude infusa. Essa definição dá-se pelo fato de a fé ser derramada por Deus em nossos corações. Ainda que, no princípio, tenhamos pouquíssima fé, e até mesmo incertezas, numa fé pequena como um grão de mostarda.


Uma analogia interessante, partindo dessa comparação da fé ao grão de mostarda, é compará-la com as coisas de Deus. Quando estamos fracos na fé, com nossa cruz desequilibrada, pode acontecer de a nossa relação com Deus ficar em segundo plano, com as coisas do mundo tomando a prioridade. Mas devemos sempre lembrar da importância de uma cruz equilibrada. Aumentar a nossa fé é uma das diversas maneiras de contribuir para isso. E a fé, como virtude infusa, precisa de oração. É como o plantio da semente de mostarda. Para que o grão possa se tornar árvore, é preciso ser plantado. O que devemos fazer para que o reino de Deus seja como o grão de mostarda em nossa vida? Em primeiro lugar, devemos exercitar a nossa fé no amor de Cristo. A fonte da Graça brota do amor dEle por nós.


Quando começamos a rezar, pode parecer que estamos falando sozinhos. “Será que tem um Deus me ouvindo?” Com o tempo, e principalmente, com a nossa transformação, passamos a verdadeiramente experienciar a graça. Mas, não nos limitemos a isso. Dito a importância da oração pedindo fé, sendo o literal plantio da boa semente, podemos também relembrar a parábola do semeador (Mc 4, 1-9): que tipo de solo temos sido para o reino de Deus? Estamos preparados para transformar essa pequeníssima fé, pequena como o menor dos grãos, em uma enorme árvore?


Veja bem: nos diversos evangelhos em que a parábola que conduz a nossa reflexão é citada, diz-se não só que a árvore que brota do grão de mostarda é enorme, mas também, é enfatizado que essa estende ramos tão grandes que podem abrigar os pássaros do céu. E esse é o carisma do nosso movimento. “Ensina-me ser pessoa em clima de oração. A ser sal da terra e luz do mundo...”


É o que pessoas de fé são para nós. São como os ramos da mostarda que abrigam os pássaros do céu. Por que não sermos para o outro? Jesus sempre nos convida a ir a águas mais profundas. Por muitas vezes não entendemos que ir a águas mais profundas se aplica na rotina, no tempo dedicado a ouvir e falar com Deus.


Sugestão de parte prática: Dividir os alpinistas em grupos e pedir a leitura e reflexão das seguintes passagens:

Mt 13, 31-32 ; Mt 17, 14- 20 ; Mc 4, 30-32 ; Lc 13, 18 – 19.

Além das passagens citadas acima, ler Mc 4, 1-9, que pode contribuir para a reflexão.


Palavras-chave: Bíblia; Palavra de Deus; Parábola; Grão de mostarda; Fé.

Sugestões de passagens: Mt 13, 31-32; Mt 17, 14- 20; Mc 4, 30-32; Lc 13, 18 – 19; Mc 4, 1-9.

Sugestões de músicas: Semear a palavra; Terra molhada; Todos os sinais; Tua Palavra.


27.AGO A 02.SET – ESTUDO – SÃO PEDRO E SÃO PAULO: SOMOS PEDRAS ESSENCIAIS PARA A CONSTRUÇÃO DA IGREJA


Como aprendemos, nossa igreja é um reflexo de quem somos: o chamado é feito a todos, assim como em Pentecostes. Dessa forma, vamos olhar e estudar os pilares da nossa igreja, enxergando como suas diferenças se completam e fortalecem a nossa Igreja.


· Quem foi cada um deles na construção da Igreja?

· Ressaltar as diferenças entre eles;

· Pedro e Paulo representam diferentes extremos numa escala de personalidade e história. Qualquer coisa entre esses extremos pode vir a fazer parte do rosto da Igreja;

· Importante ressaltar que no caso de Pedro, a mudança de nome remete a uma mudança de responsabilidade. Sua jornada toma um novo rumo, ao receber, do nosso Senhor, uma nova função.

· A diferença de contexto social entre Pedro e Paulo;

· Como a personalidade e o temperamento de cada um influenciou em sua trajetória?

· O rosto da igreja: importância do Papa em seu tempo.


Palavras-chave: Paulo; Pedro; Papa; Complementares.

Sugestões de passagem bíblica: Mt 16, 13 - 19; Lc 5, 1 – 11; Atos 9, 1 – 22.

Sugestão de músicas: Apóstolos; Somos nós.

Sugestão de filme: Dois Papas; Paulo: Apóstolo de Cristo.



20.AGO A 26.AGO – ORAÇÃO – MOMENTO DE ORAÇÃO INSPIRADO EM FRASES DE SANTO AGOSTINHO


Santo Agostinho é um santo com quem muitos de nós podemos nos identificar. Mesmo tendo nascido numa família católica, Agostinho viveu por muitos anos desconsiderando a importância de Deus em sua vida, colocando as coisas do mundo no topo da sua cruz do ser pessoa.


Conheceu intimamente Deus através da leitura e dos estudos, percebendo, assim, como Deus havia agido em vários momentos da sua vida e se convertendo de corpo e alma ao catolicismo.


Os livros, textos e sermões de Agostinho são de grande profundidade e mostram a bonita relação de amizade que Agostinho tinha com Jesus. Hoje, te convidamos a orar com as frases de Santo Agostinho, para que essas frases possam nos levar a mais um passo na nossa conversão.


- “Fizeste-nos para vós, Senhor, e o nosso coração não se dá paz enquanto não descansar em vós”.


- “Não saia para fora, mas volte para dentro de si: a verdade reside no interior do homem”.


-"Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei! Eis que estavas dentro e eu fora. Estavas comigo e não eu contigo. Exalaste perfume e respirei. Agora anelo por ti. Provei-te, e tenho fome e sede. Tocaste-me e ardi por tua paz.”


-"Quer louvar-te o homem, esta parcela de tua criação! Tu próprio o incitas para que sinta prazer em louvar-te. Fizeste-nos para ti e inquieto está nosso coração, enquanto não repousa em Ti.”


-"Que eu te conheça, ó conhecedor meu! Que eu também te conheça como sou conhecido! Tu, ó força de minha alma, entra dentro dela, ajusta-a a ti, para a teres e possuíres sem mancha nem ruga.”


-"Quereis cantar louvores a Deus? Sede vós mesmos o canto que ides cantar. Vós sereis o seu maior louvor, se viverdes santamente.”


Sugestão de dinâmica: Levar essas e/ou outras frases de Santo Agostinho e entregá-las aos alpinistas, para que eles leiam e reflitam sobre aquela frase em sua vida. Criar um momento propício para oração, com luz baixa e música calma, para facilitar que entrem em clima de oração. Ao final, abrir espaço para que todos leiam em voz alta, a fim de que todos possam ouvir as frases e expressar suas reflexões se quiserem.


Palavras-chave: Oração; Conversão; Santo Agostinho.

Sugestão de passagem bíblica: Gálatas 2, 15-20.

Sugestão de músicas: Deus; Tempo de escutar; Ser cristão; Essa luz; Há uma luz maior; Braço forte; Pessoa da luz; Digno.


13.AGO A 19.AGO - TEMA LIVRE


06.AGO A 12.AGO – COMPORTAMENTO – TODAS AS VOCAÇÕES EM UM CHAMADO: AMAR E SERVIR


O que é vocação? Qual a diferença entre dom e vocação?


Vocação é uma palavra que vem do termo em latim vocare, que significa convocar, chamar, escolher. Vocação é, portanto, um chamado de Deus a uma determinada pessoa. Esse chamado é individual, porque reflete os dons de cada um.


O dom é inato, é um presente dado por Deus, que temos que colocar à serviço. Mesmo sendo conceitos diferentes, estão interligados, pois somos chamados a utilizar nossos dons a serviço da nossa vocação.


Existem diferentes tipos de vocações, sendo elas: matrimonial, sacerdotal, religiosa e vocações leigas.


A vocação matrimonial pode ser vivida por leigos batizados que participam da comunidade cristã por meio da Igreja. Para esse grupo, diversos propósitos de vida podem ser encontrados, através do ministério familiar ou ações missionárias.


A vocação sacerdotal convida religiosos chamados a anunciar o evangelho e guiar a comunidade rumo ao caminho de Deus. Aqui estão os diáconos, padres e bispos.


A vocação religiosa envolve pessoas que se consagram a Deus por meio dos votos religiosos de pobreza, obediência e castidade e, geralmente, seguem e servem a Cristo por meio de uma Congregação religiosa.


E as vocações leigas: Ser leigo atuante é ter consciência do chamado de Deus a participar ativamente da Igreja e do Reino contribuindo para a caminhada e o crescimento das comunidades. Assumir esta vocação é doar-se pelo Evangelho e estar junto a Cristo em sua missão de salvação e redenção.


Além dessas vocações, que são propostas de vida, também somos convidados a colocar nossos dons a serviço através da nossa vocação profissional no nosso cotidiano (seja na escola, faculdade, trabalho, família).