Os Santos Arcanjos


Olá, alpinista!

Com imensa alegria, comemoramos a festa dos três Arcanjos, no dia 29 de setembro: Miguel, Gabriel e Rafael. A Igreja Católica, através do Antigo Testamento, herdou esta devoção a esses protetores e intercessores que do Céu vêm em nosso socorro para que possamos concluir nossa missão terrena na busca pelo reino de Deus.

Seguindo o critério tradicional, são nove os coros ou ordens angélicas: serafins, querubins, tronos, dominações, potestades, virtudes, principados, arcanjos e anjos, distribuídos em três hierarquias.

Os Arcanjos, estão na terceira hierarquia, que é formada pelos santos anjos que executam as ordens do Altíssimo. Eles estão mais próximos de nós e conhecem a fundo a natureza de cada pessoa que devem assistir, a fim de poderem cumprir com exatidão a vontade divina: insinuando ou avisando, conforme o caso.

A ordem tradicional dos coros angélicos coloca os arcanjos entre os principados e os anjos. Pelas funções que desempenham, acreditamos que eles devem estar colocados no mais alto coro dos santos anjos. Gabriel e Miguel são chamados de arcanjos. Nas páginas da Sagrada Escritura vê-se que são conhecedores dos mais profundos mistérios de Deus, inclusive foi Gabriel quem anunciou a Maria que ela estava cheia de graças e tinha sido escolhida pelo Criador, para mãe de Deus. Por outro lado, também Rafael é denominado pela Igreja como um arcanjo.

A respeito de Rafael, no livro de Tobias, ele mesmo confirma que está diante de Deus: “Eu sou Rafael, um dos sete anjos que estão sempre presentes e têm acesso junto à Glória do Senhor” (Tb 12,15).

É preciso saber que a palavra anjo indica o ofício, não a natureza. Pois esses santos espíritos da pátria celeste são sempre espíritos, mas nem sempre podem ser chamados de anjos, porque somente são anjos quando por eles é feito algum anúncio. Aqueles que anunciam fatos menores são ditos anjos; os que levam as maiores notícias, arcanjos.

Foi por isso que à Virgem Maria não foi enviado um anjo qualquer, mas o Arcanjo Gabriel; para tal missão, era justo que fosse o máximo anjo para anunciar a máxima notícia.

Por esse motivo, também a eles são dados nomes especiais para designar, pelo vocábulo, seu poder na ação. Naquela santa cidade, onde há plenitude da ciência pela visão do Deus onipotente, não precisam de nomes próprios para se distinguirem uns dos outros. Mas quando vêm até nós para cumprir uma missão, trazem também entre nós um nome derivado dessa missão. Assim, Miguel significa “Quem como Deus?”; Gabriel, “Força de Deus”; e Rafael, “Deus cura”

São Miguel:

Segundo a Bíblia, ele é um dos sete espíritos assistentes ao Trono do Altíssimo, portanto, um dos grandes príncipes do Céu e ministro de Deus. No Antigo Testamento o profeta Daniel chama São Miguel de príncipe protetor dos judeus, enquanto que, no Novo Testamento ele é o protetor dos filhos de Deus