A oração transforma - Por Mariana Marques



A minha história no Movimento começou em maio de 2004, na 52ª Escalada em Salvador. Desde então se tornou um desafio seguir nosso carisma de “Ser Pessoa em Clima de Oração” em todos os ambientes que frequento. Sempre foi muito mais fácil para mim cumprir com a nossa missão de “Amar e Servir” do que viver com facilidade o nosso carisma, apesar de serem complementares.

Sou muito agitada e já fui até mal vista como a menina de gênio forte que estava sempre irritada. Acho que justamente como consequência da pouca busca de oração. Dentro do movimento passei por muitas funções de liderança, em ações mais práticas, o que achava que combinava com o meu perfil. Normalmente me identificava mais com o fazer constantemente do que com o parar, respirar, refletir e orar.

Neste período fui convidada três vezes para fazer parte do Projeto de Oração, carinhosamente chamado de PO. Nas duas primeiras não entendi como um chamado de Deus, não me abri e neguei: “Gente, não tem nada a ver comigo! Não tem nada a ver com o meu perfil! Obrigada pelo convite, mas não dá!”.


Da terceira vez, em 2015, fui convidada por Gaza, que coordenava o PO e me pediu apenas para conhecer o perfil do projeto. Não nego que o empurrãozinho do namorado contou muito para o primeiro passo: a presença na reunião (obrigada, amor!). Mas a permanência surgiu inicialmente da minha vontade de ajudar o projeto e difundir a oração dentro do Movimento. À medida que o tempo passava eu me apaixonava mais pelo PO e compreendi que minha permanência, agora, se dava também pelo bem que ele me fazia.

No biênio 2016/2017 assumi a função de coordenadora e percebemos dentro do projeto a necessidade de buscar mais oração e menos funções. Fazíamos muita coisa e isso estava atrapalhando a nossa sintonia com Deus e a oração de forma mais profunda. Sendo assim, houve uma reformulação nas metas do projeto e passamos a nos debruçar mais nos momentos de intimidade e oração, no silêncio como forma de escutar a Deus. Ficou claro para mim que conseguíamos cumprir todas as nossas funções em verdadeiro clima de oração.


Os meus laços com Maria se estreitaram através da constante oração do terço e nossa relação de alpinista tão carinhosa com Nossa Senhora do Escalada, bem como a sede de estar em sintonia e intimidade com Deus. Comecei a trabalhar mais o silêncio exterior e interior, ouvir mais, falar menos, compreender mais, julgar menos, ser mais misericordiosa com o próximo. A oração transforma e posso dizer que ela me transformou


O meu amadurecimento pessoal e cristão tem um dedinho do PO, e sou grata por isso. Grata por compreender que posso ter um pouquinho de Marta e um pouquinho de Maria (Leia Lc 10, 38-42), grata por hoje verdadeiramente Ser Pessoa em Clima de Oração em muitos momentos da minha vida e em muitos ambientes que frequento. Aprendi que orar também é ser missionário e que na oração demonstramos nosso amor pelo próximo.


Se você acha que não tem perfil de PO por ser mais Marta que Maria, talvez seja justamente do exercício da oração que você esteja precisando. Foi assim comigo! Todo Cristão precisa de oração, então busque cada vez mais esse exercício em sua vida.

“Peço aos que ainda não começaram a ter oração que não se privem de tanto bem” Santa Tereza de Jesus.

Mariana Marques - Goiabinha - 52ª Escalada em Salvador.

#oração #transformação

Outros Posts

Bahia - Pernambuco - Sergipe

© 2016 por Movimento Escalada.